cães

MANEJO REPRODUTIVO

Puberdade nos cães:
Em machos e fêmeas a idade de início da puberdade varia de acordo com o porte do animal (dos 6 meses nas raças miniaturas aos 18 meses nas raças gigantes).
Esta fase nos machos, caracteriza-se pelo início da produção de espermatozóides fecundantes, estando o animal apto à reprodução.
As fêmeas na puberdade se tornam capazes de ovular, porém não se deve acasalar no 1° cio, pois no início desta fase não há o completo desenvolvimento da estrutura pélvica, dificultando o progresso da gestação e o sucesso do parto. Recomenda-se o acasalamento das fêmeas a partir do 3° cio.

Cio
O cio na cadela é dividido em 4 fases: praestro, estro, diestro/metaestro e anestro.
No proestro a cadela dá início aos primeiros sinais de cio, como, alteração de comportamento, tumefação da vulva, aparecimento de secreção sanguinolenta que permite ao macho segui-la, sem que ela aceite a monta.
A fase em que há a aceitação do macho corresponde ao estro e pode ser acompanhada por um reflexo de postura onde ao se tocar a vulva da cadela, ocorre um desvio lateral da posição da cauda. Nesta fase ocorre a ovulação.
Essas duas fases iniciais duram em média três semanas. A fase seguinte corresponde ao tempo de duração de uma gestação: o metaestro e diestro. Segue-se então a fase de anestro em que a fêmea se encontra em repouso reprodutivo e se prepara para o início de um novo ciclo.

Gestação
A gestação nas cadelas, dura em torno de 55 a 65 dias, ou seja, de sete a nove
semanas. O que vai depende de fatores, como o número e tamanho dos filhotes. A ultra-sonografia confirma a gestação, mostra o número de fetos e sua posição no útero, e ainda é importante ferramenta para acompanhar o desenvolvimento dos filhotes.

30 dias - Pode ser feito diagnóstico através de palpação
35 dias - Observa-se o desenvolvimento das glândulas mamarias, que ficam rosadas e túrgidas. Aumento acentuado de peso
40 dias - Abdome está maior
45 dias - Radiografia evidencia ossos da cabeça, vértebras, costelas e ossos longos dos membros
49 dias - A cabeça dos fetos é palpável e há grande aumento nas glândulas mamarias.
A partir da 8ª semana de gestação (56 dias), o movimento dos filhotes já pode ser visto quando a cadela está deitada. Os filhotes já podem nascer de forma segura.
A alimentação deve ser reforçada. O uso de ração balanceada, de boa qualidade e de formulação para filhotes e fêmeas em gestação, é a melhor forma de garantir os nutrientes necessários, sem os suplementos extras. Durante a gestação, devido a ação do hormônio progesterona, o tempo de esvaziamento gástrico da cadela aumenta. Mas, ao mesmo tempo, a mobilidade gástrica diminui conforme o estômago é deslocado pelo útero em crescimento. Portanto o ideal é que se forneça a alimentação em pequenas porções, várias vezes ao dia, facilitando a digestão.
Duas semanas antes do parto – média de 46 dias Prepare o local que a cadela irá ter seus filhotes. Estimule-a a deitar e dormir nele. Isso a deixará mais segura na hora do parto.

Uma semana antes do parto
É comum, nas fêmeas em primeira gestação, ocorrer secreção aquosa nas glândulas mamarias. É normal que no final da gestação a cadela perca o apetite, principalmente quando está próximo da hora do parto.
• A caixa ou local para a cadela ter seus filhotes;
• Jornais para manter o local limpo durante o trabalho de parto;
• Lixeira para os jornais sujos e materiais que serão usados durante o parto;
• Separe uma caixa menor, forrada com toalha macia, para colocar os filhotes enquanto a mãe está em trabalho de parto dos demais;
• Relógio para controlar o tempo de parto;
• Caso esteja frio, coloque um abajur ou instalação elétrica, com uma lâmpada de 100w próxima a caixa dos filhotes;
• Caso esteja calor, coloque um ventilador para a mãe;
• Fio dental e tesoura, afiada e esterilizada, para amarrar e cortar os cordões umbilicais;
• Anti-séptico para desinfetar o cordão umbilical cortado;
• Toalhas e panos macios para serem trocados duas vezes ou mais ao dia, na caixa ou abrigo da mãe e filhotes.

Os primeiros sinais aparecem nas 48 horas antes do parto, quando começa a produção de colostro pelas glândulas mamarias e a fêmea faz um "ninho". A descarga vaginal acontece 12 horas antes. E então a temperatura aumenta um grau, sendo que a temperatura normal do cão é em torno de 38,9 a 39,9 graus. É bom entrar em contato com o seu veterinário e deixá-lo de sobreaviso, caso você precise de ajuda.

Quando chega a hora do parto as fêmeas demonstram desconforto. Elas não encontram posição para se deitar e dormir. Respiram de forma acelerada como se estivessem com dor. Lambem e olham para a vulva. Recusam a comida e procuram o seu "ninho". As contrações podem ser observadas nos músculos das costas, num movimento descendente.

Se ela quiser sair e caminhar vá junto. Caminhar ajuda no trabalho de parto, mas é preciso sempre estar atento para que nenhum filhote nasça no chão e ninguém veja. Principalmente se estiver escuro.

Após o começo das contrações pode levar até 4h para a saída do primeiro filhote. Se até esse tempo nenhum filhote nascer, procure logo seu veterinário. É importante observar o comportamento da fêmea - presença de contrações, estado geral da mãe e dos filhotes ao nascerem. Qualquer sinal de apatia, falta de contrações uterinas ou contrações sem a saída do feto indica problemas e o veterinário deve ser procurado imediatamente.

Entre as causas de atonia de útero estão: insuficiência de cálcio, déficit energético, fetos muito grandes e obesidade, partos muito prolongados. O intervalo entre os nascimentos pode ser de 15 minutos à uma hora, mais do que isso chame o seu veterinário.

Para a saída do filhote, a bolsa de água aparece e normalmente se rompe, então o filhote sai de dentro dela. A placenta pode ou não se soltar nessa hora. Nunca puxe o filhote, porque você poderá causar nele uma hérnia umbilical. Espere ela se soltar. Se a mãe não cortar o cordão você terá que fazê-lo, usando fio dental e tesoura esterilizada. Depois passe um anti-séptico, como iodo. Importante também é contar o número de placentas. Elas devem corresponder ao número de filhotes, caso não ocorrer é porque houve retenção. E precisa ser tratado, pois a mãe corre o risco de ter uma séria infecção uterina.

Você pode ajudá-la a limpar os filhotes com uma toalhinha macia, enxugando-os até que chorem. Esfregá-los, ao mesmo tempo em que limpa ajuda a estimular a respiração. Se isso não fizer o filhote respirar e chorar, segure-o firme de cabeça para baixo, protegendo sua cabeça e pescoço, e balance-o. A força centrífuga irá ajudar a retirar o muco da garganta e narinas dele, para que ele possa respirar.

No intervalo entre os nascimentos, deixe os filhotes mamarem o colostro, pois é muito importante para a saúde e imunidade contra infecções, e ainda ajuda nas contrações e no trabalho de parto da mãe. Quando as contrações recomeçarem, coloque-os separados da mãe.

• A cadela se acalma, sua respiração volta ao normal e param as contrações;
• Limpe tudo, passe um pano úmido na cadela para limpá-la e fazê-la se sentir melhor;
• Alimentação ideal pós-parto deve ser leve e líquida - ofereça água e algo como caldo de galinha com arroz;
• A cadela deve ficar com os seus filhotes em local calmo e tranqüilo;
• Temperatura ambiente constante por volta de 32 graus e sem correntes de vento;
• Nos dias seguintes, o alimento deve continuar a ser balanceado e fortalecido - há rações próprias para aleitamento, nos mercados e Pet Shops;
• Deve-se oferecer também bastante água fresca para ajudar na produção de leite;
• A mãe deve ficar sempre junta dos filhotes para lhes fornecer calor;
• É bom observar se ela toma o cuidado de não sentar ou deitar sobre eles.

As mães de primeira viagem podem ficar confusas durante e após o parto. Você precisará ter firmeza, paciência e muito carinho com ela, ajudando no parto, no cuidado com os filhotes e na amamentação.
Primeiras horas e dias
24 horas: É muito importante que todos os filhotes recebam o colostro e sejam examinados pelo veterinário.
Após 24 a 48 horas: A secreção vaginal pós-parto começa a diminuir e a clarear.
8 a 10 dias: olhos abrem
3 a 17 dias: início da audição

Curiosidades
O filhote é expulso, ainda envolvido na bolsa amniótica
A mãe abre a bolsa com os dentes e puxa-a para baixo
• A cadela corta o cordão umbilical e lambe o filhote;
• Ao lambe-lo, estimula a circulação;
• Os filhotes encontram os mamilos da mãe por instinto.

Alimentação
A alimentação da cadela gestante deverá estar adaptada qualitativamente, quantitativamente de acordo com as necessidades fisiológicas da gestação que estarão de acordo com o número de filhotes em gestação e seu ganho de peso diário.
Durante as cinco primeiras semanas as exigências nutricionais permanecem relativamente estáveis, por mais que o apetite aumente.
Por volta da 5° semana de gestação o apetite tende a diminuir transitoriamente, porém é nesta fase que há um aumento progressivo das necessidades protéicas e energéticas, pois acontece o desenvolvimento ponderal e esquelético dos fetos.
Deve-se ter uma atenção especial ao nível de vitamina A na alimentação materna, pois esta se difunde através da barreira placentária permitindo uma boa proteção epitelial dos filhotes.
A mineralização do esqueleto os fetos em final de gestação requer um aumento de fornecimento em minerais que o constituem, principalmente cálcio e fósforo, porém deve-se ter cuidado com excessos para se evitar possíveis patologias futuras.

Vermifugação
A vermifugação em fêmeas gestantes deve ser feita durante a gestação, pois alguns parasitas possuem a capacidade de atravessar a barreira placentária. Se indica 1 semana antes do parto. Outros parasitas podem ser transmitidos aos filhotes através da amamentação (via transmamária), portanto se recomenda a vermifugação 2-3 semanas após o parto também.

Parto
Os primeiros sinais do parto aparecem em média 63 dias após a fecundação. Ocorrem modificações no comportamento da cadela: procura de um lugar tranqüilo ou da companhia do seu dono, se apropria de vários objetos para fazer o ninho. Pode acorrer diminuição do apetite, constipação e desenvolvimento mamário. A temperatura retal cai de 1°C nas 24 horas pré-parto e então surge um corrimento oriundo do colo uterino chamado de corrimento do tampão mucoso antes das primeiras contrações.
As primeiras contrações podem ser detectadas externamente pelo nervosismo da cadela, que observa frequentemente seus flancos. Há perda do apetite e ás vezes vômito.
Após a ruptura da primeira bolsa de águas (Bolsa Alantóide) ocorre a inserção do primeiro filhote no sulco pélvico, o que provoca visíveis contrações da musculatura abdominal. No máximo 12 horas depois a ruptura 1° bolsa surge a segunda bolsa (Bolsa Amniótica) que envolve o filhote, esta é geralmente rasgada na passagem da vulva, porém se isso não acontecer a mãe geralmente se encarrega de fazer isso. Nesta hora, deve-se ficar atenta aos movimentos respiratórios do filhote, observando se não há obstrução das vias aéreas superiores. As expulsões dos filhotes seguintes ocorre geralmente em intervalos de alguns minutos, a meia hora. Entretanto, um período superior a duas horas entre duas expulsões pode significar uma anomalia. Neste caso é necessário uma intervenção médica ou cirúrgica.
Os anexos fitais são expulsos aproximadamente 15 minutos depois do nascimento de cada filhote, são na maioria das vezes ingeridos pela mãe.
Alguns cuidados pós natais devem ser adotados pelo proprietário como verificar o número de tetas que apresentam leite e se estas são suficientes para o número de filhotes nascidos, dirigir um filhote para uma teta caso a mãe não faça espontaneamente, verificar se todos os filhotes estão no aconchego da mãe para evitar uma possível hipotermia.

Porte do animal Nº de filhotes
Raça pequena(<de 10 kg) 1 - 3
Raça média(10 a 25 kg) 4 - 6
Raça grande(25 a 45 kg) 8 - 10
Raça gigantes(45 a 90 kg) 8 - 12


Aleitamento
O colostro (primeiro leite) é secretado pela mãe nos dois primeiros dias após o parto. Ele é amarelado e translúcido podendo ser confundido com pus. Sua composição é bem diferente do leite comum é mais rico em proteínas, contém anticorpos necessários para proteção do filhote, além de estimular a primeira defecação dos filhotes. Em alguns dias o colostro é substituído por leite.
A lactação dura em média 6 semanas após o parto.
Durante a lactação ocorre um aumento das exigências da mãe devido a riqueza do leite (cálcio, energia, proteínas) que é fornecida aos filhotes.
Neste período deve-se atentar para uma alimentação palatável, de alta digestibilidade, de valor energético elevado, de qualidade e quantidade de proteínas para o desenvolvimento esquelético e muscular dos filhotes, de níveis de cálcio, magnésio e vitamina D suficientes para diminuir os riscos de eclampsias.
Quaisquer que sejam as qualidades dos alimentos distribuídos, a perda de peso da reprodutora não deve exceder 10% após um mês de lactação.

Desmame
O desmame se caracteriza por um processo progressivo de transição lenta da dieta láctea para uma ração de crescimento. Pode ter início a partir de 3 semanas de idade terminar em torno de 7 a 8 semanas de idade dos filhotes.
Nos cães de raças pequenas, a lactação supre o período mais intenso do crescimento dos filhotes correspondendo às suas necessidades máximas, em compensação os filhotes de raças medis e grandes serão abandonados pelo leite materno em um momento crítico do seu desenvolvimento.
Não se deve separar completamente os filhotes da sua mãe antes da data para evitar um estresse num período em que já ocorre variação na dieta. Deve-se separar os filhotes da mãe durante o dia e junta-los durante a noite.

Informações importantes na reprodução canina
• Maturidade sexual – 6 a 18 meses.
• Duração do cio – 3 semanas (proestro e estro).
• Dia ótimo para fecundação – 11° a 13° dia após início do cio.
• Duração gestação – 58 a 70 dias.
• Descida do testículo nos filhotes – antes do 5° mês.
• Abertura dos olhos no filhote – de 10 a 14 dias após o nascimento.
• Sensibilidade a dor – desde o nascimento.
• Locomoção – rastejam desde o 7° ao 14° dia, começam a andar à partir do 16° dia e andam quase normalmente à partir do 21° dia de nascido.
• Resposta ao frio – possuem termotropismo, ou seja, procuram sempre por uma fonte de calor.
• Reflexo de sucção – desde que nasce.
• Umbigo – cai no 2° ou no 3° dia.
• Dentes – Nascem à partir dos 30 dias.
• Canais auditivos – à partir do 5° dia.

MUNDOPETSHOP©Todos os direitos reservados
Cadima Shopping - Centro - Nova Friburgo - RJ
Tel.:(22) 2522-6590 - contato@mundopetshop.com.br

www.mpdesign.com.br